Juiz para partida após gritos homofóbicos e Vasco pode ser punido

O time do Vasco pode contar com sérios problemas no tribunal, após sua torcida proferir frases homofóbicas no último jogo realizado neste domingo (25), contra o time do São Paulo.
Durante o jogo, o árbitro Anderson Daroncoprecisou paralisar o jogo após ouvir gritos como “time viado”, vindos da torcida do Vasco. A partida só retornou após uma conversa com o técnico Vanderlei Luxemburgo e depois que o locutor do estádio solicitou que palavras de ódio não fossem proferidas pela torcida.
Ao fim do jogo, que terminou com a vitória de 2 a 0 para o Vasco, Daronco relatou na sumula que ouviu os gritos homofóbicos. “Relato que aos 17 minutos do segundo tempo houve um canto vindo da arquibancada da torcida do Vasco em que dizia: “time de viado”. Aos 19 minutos do segundo tempo, a partida foi paralisada para informar ao delegado do jogo e aos capitães de ambas as equipes a necessidade de não acontecer novamente”, disse o juiz.

A regra quanto a discurso de ódio nos estádios é relativamente nova. Nesta rodada os clubes, inclusive, podem perder até três pontos por estas atitudes. Segundo o Superior Tribunal de Justiça Desportiva, os casos se enquadram no artigo 243-G do Código Disciplinar.
Esta não é a primeira vez que a torcida do Vasco se envolve com questões homofóbicas. Na última semana a torcida do Flamengo relatou que foi vítima de homofobia, após dois rapazes serem flagrados se beijando na arquibancada. A foto teria sido compartilhada como chacota.

You May Also Like

0 comentários